Ex-Facebook acusa: as redes sociais estão a destruir a sociedade

O antigo vice-presidente do Facebook responsável pelo crescimento de utilizadores, Chamath Palihapitiya, diz sentir-se culpado sobre o seu trabalho na rede social.

É possível alguém responsável por existirem cada vez mais utilizadores nas redes sociais star arrependido? É sim. Chama-se Chamath Palihapitiya e depois de ter liderado essa vertente como vice-presidente do Facebook, agora quer avisar os utilizadores para os riscos que correm.

Os avisos foram dados numa conferência já há uns meses, na Stanford Graduate School of Business, na Califórnia, mas que precisamente por causa das redes sociais voltou à ribalta. Aqui ficam alguns dos comentários mais importantes na conferência:

  • Sente-se “tremendamente culpado” sobre a sua participação no Facebook. “Acho que criámos ferramentas que estão a destruir o tecido social e a frma como a sociedade funciona”.
    “Os ciclos de feedback de curto prazo guiados pela dopamina (sistema do cérebro de comportamento motivado pela recompensa), onde se incluem os corações, Gostos e polegares para cima, estão a destruir a forma como a sociedade funciona”. Chamath acrescenta mesmo que, “não há discurso cívico, nem cooperação, apenas desinformação e falta de verdade. E não é um problema americana – não é sobre o anúncios russos. É um problema global.”
    Já relativamente a um incidente que levou a que sete homens inocentes em Índia fossem linchados depois de uma partida sobre raptos que se espalhou pelo WhasApp: “é com situações desta que estamos a lidar. E imaginem levar isto a um extremo, onde maus atores podem manipular grandes quantidades de pessoas a fazer o que eles querem. É uma situação muito grave”.
    Já quando lhe perguntam se os seus filhos usam redes sociais: “eles não podem usar essa m****”.

Chamath Palihapitiya, já depois da conferência, admitiu que também há vantagens de networking nas redes sociais, mas preocupa-o mais o lado negativo.